Mago dos Sons


O carnaval sempre rende boas histórias. Quando a elas se junta uma trilha sonora, então. Foi o que aconteceu na terça-feira gorda, quando nos deparamos com um atelier de instrumentos musicais na estrada próxima à praia da Armação. O lugar simples abriga uma figuraça chamada Crono. De nacionalidade indefinida, que suscita dúvidas pelo sotaque castelhano, diz-se nativo da ilha.

Não poderíamos ter sido mais bem recebidos. À disposição uma grande quantidade de instrumentos de percussão. Todos produzidos manualmente pelo próprio Crono mais dois ou três ajudantes. Tambores, pandeiros, afoxés, berimbaus e tantos outros. Cada um com uma sonoridade diferente e bela. Ou exótica como a do violino africano. Um encanto!

Depois de uma batucada coletiva, nos despedimos do mago dos sons e voltamos para casa com gostinho de quero mais.

Ah! O doc-músico-produtor não resistiu e levou um deles. O nome eu não sei, mas o efeito de reproduzir o barulho de tempestade é incrível.

1 comentários:

marcelo disse...

Coisas que só o Doc. pode nos proporcionar!